Carregando ...
Visualização do Trabalho Acadêmico
Repositório Institucional - UECE
Título:
A Cidadania em Aristoteles e Cristo: Estudo Comparado de Filosofia Socio-Politica

Autor(es):
Paula, Ricardo Henrique Arruda de

Palavras Chaves:
Não informado

Ano de Publicação:
2001

Resumo:
Esta dissertacao de mestrado em filosofia tem como objetivo primordial, fazer uma cartografia antropologica e filosofica da visao da visao ideologica de Aristoteles e Cristo sobre a cidadania em suas devidas epocas. Para tanto, utilizamos como metodologia da estrutura deste trabalho, o procedimento empregado pelo antropologo frances Louis Dumont, em seu livro Ensaios sobre o individualismo. Contudo empregamos a estrutura antropologica do trabalho de Louis Dumont e nela, ou atraves dela, guiamos nossa atividade filosofica, realizando a tarefa comparativa de confrontar dois personagens, duas cidades e, tambem, duas realidades distintas. Em um primeiro momento, procuramos analisar as sociedades antigas, partindo do principio de que a maior parte delas por serem sociedades tradicionais (ou holisticas), guardam entre si semelhancas culturais. Logo, entre a comunidade grega da antiguidade e a comunidade judaica, existem elos que as aproximam, que e a valorizacao do Estado acima do valor individual dos seus cidadaos. Em um segundo momento, procuramos identificar Aristoteles (seguindo o metodo antropologico de L. Dumont) como um individuo-no-mundo. Conceituamo mundo como a comunidade politica, ou a polis grega, uma ordem socio-politica um espaco comunitario, portanto, uma comunidade humana. Nesse caso, o cidadao teria o papel fundamental dentro da visao politica aristotelica. Segundo Aristoteles o cidadao seria aquele englobado pelos fatores politicos da cidade e, logo, atraves da participacao nela, receberia sua segunda e mais importante identidade, que seria a coletiva (sendo a primeira identidade a biologica), ou a cidadania. No entanto, seguindo a concepcao exposta no livro A Politica, haveria, tambem, os nao cidadaos. E aqui, fizemos a explicacao sobre quem era cidadao e quem nao era, bem como quem perdia a cidadania. Na complementacao desse capitulo, dialogamos com as diversas formas culturais que existiam na sociedade grega aristotelica e pre-aristotelica, formadoras da cidadania entre elas a Paideia, o culto publico aos deuses, as atividades comunitarias e o culto aos mortos. Finalizando o periodo aristotelico, examinamos o nascimento do periodo helenistico e, dentro dessa epoca, nos detivemos na figura do sabio renunciante (conforme L Dumont), que tinha como concepcao filosofica, a abdicacao dos preceitos politicos e dos lacos comunitarios. Elegemos um representante do periodo, que foi Diogenes que demonstrou, com seu modo de vida, a total apatia pelo Estado e por uma ordem comunitaria. Nesse periodo, vemos a derrocada da polis aristotelica, bem como o enfraquecimento da cidadania aos moldes classicos e o inicio do individualismo nas sociedades tradicionais, que faz um rito de passagem o periodo seguinte atribuido a Cristo. Classificamos (conforme L. Dumont), Cristo como o individuo-fora-domundo. Demonstramos para isso, que o conceito de mundo que aplicamos ao longo desta dissertacao, se refere a comunidade politica, ou mais precisamente, ao mundo dos homens. Portanto, Cristo estaria mais comprometido com uma cidade divina, de que com uma cidade e cidadania terrestre. Por conseguinte, estudamos o novo testamento e, tambem, nos subsidiamos do velho testamento, para chegarmos a visao que Cristo teve da cidade e da cidadania.Cristo, tambem, conforme estudamos, seria um tipo de renunciante, mas nao mais o sabio renunciante, e sim, o religioso renunciante (conforme L. Dumont). A cidade nao mais se movimenta, no ponto de vista de Cristo, pela politica, ou por uma raca determinada (como havia no antigo testamento), mas por um conceito sobre-lunar, de fraternidade e de amor. Observamos que varias categorias humanas sao relativizadas por Cristo, como o espaco e o tempo. Tambem examinamos e contrapomos a sociedade aristotelica, as formas culturais que eram paradigmas a todos os cidadaos, como rituais religiosos, o trato com as questoes da morte e a educacao.

Abstract:
Não informado

Tipo do Trabalho:
Dissertação

Referência:
Paula, Ricardo Henrique Arruda de. A Cidadania em Aristoteles e Cristo: Estudo Comparado de Filosofia Socio-Politica. . Sem Numeração Dissertação (Mestrado Acadêmico ou Profissional em XX) – Universidade Estadual do Ceará, , . Disponível em: Acesso em: 8 de dezembro de 2019

Universidade Estadual do Ceará - UECE | Departamento de Informática - DI
Política de Privacidade e Segurança
Build 2