Carregando ...
Visualização do Trabalho Acadêmico
Repositório Institucional - UECE
Título:
MIGRAÇÃO INTERNACIONAL E TERRITORIALIDADE: OS COREANOS NO CEARÁ

Autor(es):
BARBOSA, WESLEY ALMEIDA

Palavras Chaves:
Não informado

Ano de Publicação:
2019

Resumo:
A mobilidade populacional, entendida não somente como acontecimento momentâneo, mas como processo histórico, é um fenômeno que agrega múltiplas escalas (espaciais e temporais). Por sua vez, a migração compreendida como um fenômeno inerente ao capitalismo, congrega dinâmicas socioespaciais que redimensionam os significados dos lugares e reconfiguram os territórios. Pertencente a esse contexto, a migração sul-coreana pode ser lida como uma dinâmica multidimensional, de caráter econômico, político e cultural. Inicialmente, foi uma migração impulsionada pelo governo sul-coreano com objetivo de diminuir o crescimento demográfico. Neste caso, a migração era sinônimo de busca por melhores condições de vida, já que na Coréia do Sul, a economia não permitia uma boa inserção no mercado de trabalho. Posteriormente, já pertencente a um contexto global de desenvolvimento industrial, houve a inserção de conglomerados industriais em alguns países, tendo o Brasil como exemplo e, mais especificamente, o estado do Ceará. Na Região Metropolitana de Fortaleza - RMF, percebeu-se uma grande atividade envolvendo migrantes de origem sul-coreana, isso aconteceu, principalmente, com a chegada da Companhia Siderúrgica do Pecém – CSP, com duas acionistas de origem coreana (Dongkuk Steel e Posco). Diante do apresentado, o foco desta pesquisa é compreender as territorialidades da migração coreana no Ceará do ponto de vista do trabalho, da moradia, do consumo e do lazer. Para isso, consideramos os municípios em que a presença destes migrantes se apresentou com maior ênfase, como Fortaleza, Caucaia (Vila do Cumbuco) e São Gonçalo do Amarante. Ao considerar essa recente migração, o trabalho se mostra como um esforço para a compreensão das territorialidades articuladas às recentes migrações internacionais presentes nas cidades cearenses.
Palavras-chave: Mobilidade. Migração. Território. Ceará. Coreanos.

Abstract:
Population mobility, understood not only as a momentary event, but as a historical process, is a phenomenon that aggregates multiple scales (spatial and temporal). In turn, migration understood as an inherent phenomenon of capitalism, brings together socio-spatial dynamics that reshape the meanings of places and reconfigure the territories. Belonging to this context, South Korean migration can be read as a multidimensional, economic, political and cultural dynamic. Initially, it was a migration driven by the South Korean government aimed at slowing down population growth. In this case, migration was synonymous with the search for better living conditions, since in South Korea, the economy did not allow a good insertion in the labor market. Subsequently, already belonging to a global context of industrial development, there was the insertion of industrial conglomerates in some countries, with Brazil as an example and, more specifically, the state of Ceará. In the Metropolitan Region of Fortaleza (RMF), there was a great deal of activity involving South Korean migrants. This was mainly due to the arrival of Companhia Siderúrgica do Pecém - CSP, with two Korean shareholders (Dongkuk Steel and Posco) . In view of the presented, the focus of this research is to understand the territorialities of the Korean migration in Ceará from the point of view of work, housing, consumption and leisure. For this, we consider the municipalities in which the presence of these migrants presented themselves with greater emphasis, such as Fortaleza, Caucaia (Vila do Cumbuco) and São Gonçalo do Amarante. In considering this recent migration, the work shows itself as an effort to understand the territorialities articulated to the recent international migrations in the cities of Ceará. Keywords: Mobility. Migration. Territory. Ceará. Koreans.

Tipo do Trabalho:
TCC

Referência:
BARBOSA, WESLEY ALMEIDA. MIGRAÇÃO INTERNACIONAL E TERRITORIALIDADE: OS COREANOS NO CEARÁ. 2019. 110 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em 2019) – Universidade Estadual do Ceará, , 2019. Disponível em: Acesso em: 26 de fevereiro de 2020

Universidade Estadual do Ceará - UECE | Departamento de Informática - DI
Política de Privacidade e Segurança
Build 1