Carregando ...
Visualização do Trabalho Acadêmico
Repositório Institucional - UECE
Título:
Toxina da Salsa (Ipomosa Asarifolia R. Et Schult): Aspectos Bioquimicos ...

Autor(es):
Santos, Lucia de Fatima Lopes dos

Palavras Chaves:
Não informado

Ano de Publicação:
2001

Resumo:
Ipomoea asarifolia (salsa) e uma especie pertecente a familia Convolvulaceae largamente distribuida no nordestee do Brasil, representando uma fonte alternativa de alimento para os ruminantes, principalmente no periodo da seca. Todavia, alguns sintomas toxicos foram observados em cabras apos o consumo de folhas de salsa. Na busca da substancia responsavel pelos efeitos adversos, uma proteina com atividades toxica e hemaglutinante foi purificada. Folhas recem coletadas foram maceradas na presenca de nitrogenio liqyuido, sendo obtida extraida com tris-HCI, 25mM, pH 7,5, contendo DTT 5 mM e PVP 3% (w_v), por 2h sob agitacao, a4 C. a suspensao foi filtrada em pano trama fina e centrifugada a 10.000x g, por 30 min, a 4C. A lectina toxica da salsa, denominada LTS, foi purificada do extrato bruto por fracionamneto com sulfato de amonio, cromatografias de troca ionica (DEAE-celulose) e de afinidade (Sepharose 4B-fetuina). A massa molecular determinda por filtracao em gel em coluna de Sephadex G-100 foi 40,5 kDa, enquanto por PAGE-SDS a massa encontrada foi 44,0 kDa. Analise por espectroscopia de massa resolveu a LTS em dois picos, de 38,5 kDa e 19,3 kDa. LTS se mostrou como uma glicoproteina (4,4% carboidratos) composta de manose (29,2%), fucose (27,0%), N-acetil-D-glucosamina (23,6%) e xilose (20,2%). A composicao de aminoacidos revelou ser a LTS uma proteina rica em Asp/Asn e Glu/Gln. O pl dessa proteina foi 5,7 e a sequencia NH2-terminal encontrada foi NGXIATLSLIPY. A lectina toxica foi relativamente termoestavel, necessitando de uma energia livre em torno de 93,36kJ/mol para iniciar o processo de desnaturacao. O espectro de absorcao mostrou uma leitura maxima em 280nm, com coeficiente de extincao (3 l% 1cm) de 4,8. A lectina se mostrou uma potente aglutinina para eritrocitos de coelho, reagindo com celulas vermelhas de cavalo e ovelha, mas foi inativa frente a eritrocitos de boi, carneiro, cabra, cachorro e do homem. a aglutinacao de eritrocitos de coelho foi inibida por fetuina 39,1 ug/ml), avidin a (312,5 ug/ml) e acido N-acetil-D-neuraminico (965,6 ug/ml). Essa lectina foi altamente toxica para camundongos por via intravenosa (DL50 o,22mgP/kg de peso corporeo) produzindo dispneia, convulsoes tonico-clonicas e paralisia flacida, precedendo a morte dos animais, sendo essa atividade dependente de grupos sulfidrilas livres. Experimentos nutricionais conduzidos em camundongo femeas intubadas com fracao (F0-30%), obtida por fracionamento do extrato bruto com 0-30% de sulfato de amonio solido, que e rica em LTS, induziu um retardamento no crescimento dos animais quando comparados com aqueles intubados com NaCl 150 mM (controle). Os filhotes lactentes foram similarmente afetados pelo consumo do leite, que aparentemente veicula o principio toxico.A F0-30% teve acaoo onseticida contra larvas do gorgulho (Callosobruchus maculatus), que ataca o feijao-de-corda ou caupi (Vigna unguiculata (L.) Walp.), particularmente quando armazenado. Este resultado sugere para LTS um papel fisiologico de defesa.

Abstract:
Não informado

Tipo do Trabalho:
TCC

Referência:
Santos, Lucia de Fatima Lopes dos. Toxina da Salsa (Ipomosa Asarifolia R. Et Schult): Aspectos Bioquimicos .... 2001. Sem Numeração Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em 2001) – Universidade Estadual do Ceará, , 2001. Disponível em: Acesso em: 21 de junho de 2021

Universidade Estadual do Ceará - UECE | Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicação - DETIC
Política de Privacidade e Segurança
Build 4